Álcool aumenta risco de depressão profunda

O uso excessivo de álcool pode resultar em diversos problemas graves de saúde e psicológicos, entre eles está depressão profunda. O que constatou isso foi uma pesquisa feita pela Universidade de Otago, na Nova Zelândia, que foi publicada na revista Archives of General Psychiatry.

O estudo estatístico que envolveu mais de mil pessoas apontou uma relação unidirecional entre o consumo de álcool e o risco de sofrer de uma depressão profunda. Porém, o contrário não é válido, ou seja, não significa que pessoas com depressão tenham ingestão de bebidas alcoólicas.

Desenvolvimento da pesquisa sobre álcool e depressão

A equipe responsável pela pesquisa estudou as relações entre álcool e depressão em 1.055 indivíduos nascidos em 1977 quando estes tinham de 17 a 18 anos, de 20 a 21 e de 24 a 25 anos.

Na primeira fase, 19,4% apresentavam problemas com o álcool e 18,2% sofriam depressão profunda. Quando tinham de 20 a 21 anos, 22,4% dos indivíduos possuíam distúrbios alcoólicos e 18,2%, depressão. Já na última etapa, 13,6% dos indivíduos tinham problemas com o álcool e 13,8% sofriam do distúrbio psiquiátrico.

Em todas as idades estudadas, o abuso de álcool estava ligado a um aumento do risco de sofrer depressão severa. Os indivíduos com dependência alcoólica tinham uma probabilidade 1,9 vez maior de desenvolver um distúrbio psiquiátrico grave em comparação com os que não bebiam.

Os mecanismos que levam à ativação desta associação entre depressão e álcool não estão claros, mas os pesquisadores consideram que pode se dever a processos genéticos nos quais o segundo aumenta o risco de sofrer do primeiro.

Outros riscos do alcoolismo para a saúde mental

O alcoolismo também pode gerar outros transtornos mentais e psicológicos, como a falta de coordenação motora, falar exageradamente e euforia, perda de memória, entre outros. Infelizmente, os danos ao cérebro causados pelo álcool podem se tornar irreversíveis.

A perda de memória, por exemplo, conhecida como blackout, é um fenômeno que ocorre quando a pessoa está sob os efeitos do álcool em quantidade excessiva, e que causa o esquecimento, tanto dos seus atos, quanto dos acontecimentos a sua volta.

Tratamento

O tratamento para alcoolismo pode ser feito por meio de terapia e medicamentos – desde que sejam receitados por médicos. Como o álcool gera danos na saúde do corpo e da mente, o acompanhamento de profissionais da saúde junto a psicólogos, psicoterapia, programas de aconselhamento, grupo de apoio e outros formatos de terapia são muito importantes.

Fonte das informações da pesquisa: O Estadão

Curtir e Compartilhar

Deixe seu comentário